Logotipo Biotec AHG

Biocombustíveis podem substituir petróleo

Imprimir .

O maior gargalo para o desenvolvimento da economia mundial é a possibilidade de ocorrer uma crise energética acarretando problemas no fornecimento desses recursos. Quando se fala neste tipo de crise refere-se a escassez de petróleo, de eletricidade e de outros recursos naturais.  

Uma crise energética constituiria um grande impacto para desenvolvimento da macro-economia mundial, pois a energia elétrica é essencial para a exploração de outros recursos energéticos. A restrição no uso do petróleo, tão importante para as nações industrializadas, teria um efeito desastroso para os produtores desta matéria prima. No entanto, além das questões sócio-econômicas, as ambientais são cada vez mais relevantes devido ao alto grau de poluentes emitidos pelos combustíveis fósseis.     

A utilização do petróleo como uma das principais fontes de energia, altamente poluente, fez surgir importantes questões relacionadas à necessidade de se desenvolver tecnologias para a produção de fontes alternativas como os chamados biocombustíveis, menos poluentes e mais baratos. 

Em um artigo publicado na edição online do Jornal da Indústria de Microbiologia e Biotecnologia, o professor da Universidade de Drew, Nova Jersey, EUA, Arnold Damain, faz uma revisão sobre a utilização de microorganismos para a produção de energia. Através do processo de fermentação da biomassa, por estes seres vivos, é possível produzir biocombustível, sendo, portanto, uma alternativa para uma possível crise no desabastecimento de petróleo.

O professor Demain destacou em seu artigo que as reservas mundiais de petróleo, já existentes, mais as recém descobertas, não serão suficientes para suprir a demanda mundial desse recurso. Por isso, é importante que sejam desenvolvidas tecnologias para a produção de formas alternativas de bioenergia como meio de prevenção para uma futura queda na oferta de petróleo.

A questão principal levantada pelo professor em seu artigo foi a possibilidade de utilizar microorganismos que fermentam biomassa de lignocelulose para produzir o bioetanol, o biobutanol, o biodiesel e biohidrocarbonos, e como a utilização desses tipos de combustíveis pode ajudar na redução da emissão de gases para a atmosfera.
   
Entre os importantes fatores para o desenvolvimento comercial, Demain destacou a implementação do setor de biocombustíveis nas indústrias de biotecnologia, de petróleo e de química, além do interesse do governo norte-americano em produzir esse tipo de combustível. O professor alerta para a necessidade de produzir os biocombustíveis em grande escala e com o melhor custo possível, sendo este um dos grandes desafios a serem enfrentados pelos engenheiros químicos.

 

Fontes alternativas

A necessidade cada vez maior de se preservar o meio ambiente fez despertar o interesse pelo desenvolvimento de combustíveis, como o bioetanol, o biobutanol, o biodiesel e o biohidrocarbonos, que pudessem substituir os derivados de petróleo. Obtidos através de produtos vegetais e animais, constituem uma fonte de energia renovável e com efeitos menos prejudiciais ao meio ambiente. Por esses motivos, e levando em consideração que o petróleo é uma matriz energética finita e cara, os biocombustíveis são, hoje, uma das melhores soluções para o desenvolvimento sustentável mundial.

Devido à sua aceitação pelo mercado, o etanol e o biodiesel, são os biocombustíveis mais promissores e, sendo assim, os pesquisadores acreditam que eles ganharão cada vez mais espaço no mercado de combustíveis.

30/01/2009
Arlei Maturano - Equipe Biotec AHG
 

 © Biotec AHG 2012  - Todos os direitos reservados -  Rua Dr. Melo Alves, 529, cj. 82. Cerqueira César. São Paulo - SP. Cep: 01417-010